Amunam leva roda de leitura para praças

De posse de livros com histórias infantis, meninos e meninas se revezam contando histórias e dando muita gargalhada à sombra de árvores.

Adolescentes da Amunam levam solidariedade

crianças e adolescentes do Projeto Dando a Volta por Cima da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata visitaram o Abrigo Domingos de Azevedo Irmã Guerra.

Coração Nazareno realiza show em festival

O Maracatu Coração Nazareno, idealizado e organizado pela Associação das Mulheres de Nazaré da Mata, abriu o Festival Camará, em Camaragibe.

Grupos da Amunam se apresenta em polo junino

A Quadrilha Junina, composta por crianças e adolescentes do Projeto Dando a Volta por Cima abriu a festa no polo Circo do Forró, mostrando a todo o público presente todas as suas cores, animação e desenvoltura.

.

.

Governo pede abertura de crédito de R$ 9,4 bilhões para Auxílio Brasil.

 


O governo federal encaminhou ao Congresso Nacional um projeto de lei (PL) que pede a abertura de crédito especial de R$ 9,4 bilhões para o Programa Auxílio Brasil. O despacho do presidente Jair Bolsonaro foi publicado hoje (25) no Diário Oficial da União. Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que a proposta remaneja o saldo do Bolsa Família para o novo programa social. Os recursos são em favor do Ministério da Cidadania. 

Instituído pelo governo em agosto, por meio da Medida Provisória nº 1.061/2021, o Auxílio Brasil substitui o Bolsa Família, que será extinto em novembro. O início dos pagamentos do novo programa coincide com o fim do auxílio emergencial, lançado no ano passado para apoiar famílias vulneráveis durante a pandemia e que terá a última parcela creditada este mês de outubro. "O remanejamento evitará a esterilização de recursos orçamentários destinados à transferência de renda, que representa um dos instrumentos mais importantes de proteção social no país", diz a nota.


Normas constitucionais
Ainda de acordo com a Presidência, o projeto de lei "está de acordo com a normas constitucionais e infraconstitucionais que regem a matéria, de modo que não afeta a regra de ouro, tampouco o Novo Regime Fiscal (EC 95/2016) [teto de gastos], e é compatível com a obtenção da meta de resultado primário, prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2021".

A regra de ouro estabelece que o governo só pode emitir dívida pública para rolar (renovar) a própria dívida ou para cobrir despesas de capital, como investimentos em obras públicas e amortizações. Para cobrir gastos correntes, o governo precisa pedir autorização ao Congresso. Já o teto de gastos limita o aumento das despesas federais ao aumento da inflação do ano anterior, calculado de julho do ano anterior a junho do ano atual.

O déficit primário representa o resultado negativo nas contas do governo desconsiderando os juros da dívida pública. A estimativa de resultado negativo em 2021 é de R$ 139,4 bilhões (1,6% do PIB). A meta determinada pela LDO é de R$ 247,1 bilhões para o Governo Central, com a possibilidade de abatimento até R$ 40 bilhões de gastos relacionados ao enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Valor médio de R$ 400
O Auxílio Brasil deverá ser ampliado para 17 milhões de beneficiários, com um valor mínimo médio de R$ 400 por família, até o final do ano que vem. Desse valor, R$ 100 correspondem a aporte extra, fora do teto de gastos, em um total de R$ 30 bilhões. O valor médio do Bolsa Família, hoje, é de R$ 189.

Para isso, o governo encaminhou ao Congresso, na semana passada, uma proposta que muda o período de cálculo do teto de gastos, de janeiro a dezembro do ano atual, para acomodar o benefício de R$ 400 do Auxílio Brasil que vigorará até o fim de 2022. Com a subida da inflação nos últimos meses, a medida dará trará uma folga no teto de gastos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a inflação oficial, acumula alta de 6,90% até setembro.

A proposta original do Projeto da Lei Orçamentária de 2022 (PLOA), enviada no fim de agosto, previa déficit primário de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) para o próximo ano. Com o impacto do Auxílio Brasil, o texto terá de ser alterado na Comissão Mista de Orçamento do Congresso (CMO).
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/governo-pede-abertura-de-credito-de-r-9-4-bilhoes-para-auxilio-brasil.html.

Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS 6.


Os beneficiários do Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) terminado em 6 recebem hoje (25) a sétima parcela do auxílio emergencial 2021. Os recursos podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem, por quem recebe pela conta poupança social digital, ou sacados por meio do Cartão Bolsa Família ou do Cartão Cidadão.

O recebimento dos recursos segue o calendário regular do programa social, pago nos últimos dez dias úteis de cada mês. Os pagamentos são feitos a cada dia, conforme o dígito final do NIS. As datas da prorrogação do auxílio emergencial foram anunciadas em agosto. O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150. O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para as parcelas.

Regras
Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

Quem recebe na poupança social digital, pode movimentar os recursos pelo aplicativo Caixa Tem. Com ele, é possível fazer compras na internet e nas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, por meio do cartão de débito virtual e QR Code. O beneficiário também pode pagar boletos e contas, como água e telefone, pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas. A conta é uma poupança simplificada, sem tarifas de manutenção, com limite mensal de movimentação de R$ 5 mil.

A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/auxilio-emergencial-e-pago-a-beneficiarios-do-bolsa-familia-com-nis-6.html.

Petrobras anuncia novo aumento da gasolina e do diesel nas refinarias.

 


A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (25) que vai reajustar os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias a partir da terça-feira (26). Dessa forma, o litro da gasolina vendido pela empresa às distribuidoras passará de R$ 2,98 para R$ 3,19, o que representa um aumento de R$ 0,21 ou de cerca de 7%. A Petrobras afirma que a parcela da gasolina vendida nas refinarias no preço final do produto encontrado nos postos chegará a R$ 2,33, com um aumento de R$ 0,15. A variação é menor que os R$ 0,21 de reajuste nas refinarias porque a gasolina tem uma mistura obrigatória de 27% de etanol anidro. 


Já o litro do diesel passará a ser vendido por R$ 3,34 nas refinarias da Petrobras, o que representa um aumento de cerca de 9% sobre o preço médio atual, de R$ 3,06. No caso do diesel, a Petrobras calcula que o impacto para o consumidor final seja um aumento de R$ 0,24, porque o diesel vendido nos postos tem uma mistura obrigatória de 12% de biodiesel. A Petrobras justifica que os reajustes no preço garantem que o mercado "siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento".

"O alinhamento de preços ao mercado internacional se mostra especialmente relevante no momento que vivenciamos, com a demanda atípica recebida pela Petrobras para o mês de novembro de 2021. Os ajustes refletem também parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio", afirmou a empresa.

Para o secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, a nova política da Petrobras, que é atrelada ao dólar, deverá continuar causando reajustes significativos no preço dos combustíveis. "O dólar continuará complicado em 2022, pois teremos: ambiente externo e o doméstico, com uma fragilidade fiscal da União, a instabilidade política e as eleições. Se não tentarmos na causa, o problema persistirá", afirmou.

De acordo com Décio, a alternativa seria a adoção de um fundo de equalização, que teria a função de uniformizar os preços dos combustíveis. Na última quinta-feira (21), o projeto foi debatido durante uma reunião dos governadores com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM).
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/petrobras-anuncia-novo-aumento-da-gasolina-e-do-diesel-nas-refinarias.html.

Esperança de brasileiros pobres, Auxílio Brasil é uma dinamite fiscal.

 


Neidy Silva, 33 anos, é mãe de Enzo, 9 anos. Os dois vivem em uma quitinete alugada por R$ 450, em Samambaia Norte, região administrativa do Distrito Federal. Ela mantém sua pequena família com uma renda instável, que é a soma das faxinas na casa de vizinhos e da venda de sabão caseiro. Uma vez por semana, Neidy se desloca ao Hospital da Criança de Brasília (HCB) para o menino fazer um tratamento. Durante a pandemia, a mãe solo foi demitida de dois empregos. Por isso 90% das suas despesas são pagas com o auxílio do governo. Neide é apenas um dos brasileiros aptos a ganhar os R$ 400 do Auxílio Brasil. Confirmado para ser distribuído no próximo mês a 14,6 milhões de famílias, o programa tem a meta de beneficiar 17 milhões. O problema é ausência, até o momento, da origem dos recursos.

Fonte permanente
Gil Castello Branco, economista e diretor executivo da Associação Contas Abertas, intitula a ação de “caminho fiscal populista” e garante que é uma política pública insustentável. Para ele, proposta deveria ter uma fonte permanente de recursos. “A ideia era passar para R$ 300, mas R$ 100 a mais era como se fosse um bônus temporário de agora até o final de 2022. Isso acaba sendo uma falácia, porque não vejo a menor chance de algum governo eleito no próximo ano continuar com o benefício. Uma das primeiras medidas será acabar com o bônus. [Bolsonaro] vai elevar para um novo patamar e será irreversível. É preciso que houvesse uma fonte permanente dessa despesa que será contínua”, explicou.

Na live semanal desta quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro garantiu haver espaço no orçamento para o benefício de R$ 400. “O Congresso Nacional vai votar e a PEC dos precatórios deve ser aprovada. O texto base deve ser aprovado de modo que teremos espaço no orçamento dentro da responsabilidade para aprovarmos o Auxílio Brasil de R$ 400. Deixar bem claro: a média do Bolsa Família é de 192 reais. Nós vamos levar a todos para, no mínimo, R$ 400, tem espaço no orçamento. Com a inflação, os alimentos estão pesados. O Auxílio Brasil tem que ser algo para o cara comprar seus mantimentos ou parte deles”, disse.

O especialista considerou outras alternativas. “Ele poderia criar um valor dentro do orçamento, mais baixo, mas ele está se aventurando, tomando um caminho fiscal populista. Em uma semana, vimos a bolsa cair sete mil pontos, desde o anúncio de que aconteceria o benefício. O dólar aumentou, taxa de juros aumentou, inflação aumentou, diminuiu investimentos, porque empresários ficam inseguros. Tudo isso refletiu a insegurança do mercado daqui para frente. Essa irresponsabilidade tem perna curta. Em um primeiro momento, parece uma carruagem, mas vira logo abóbora. Dá R$ 400, mas a inflação sobe e aquele ganho aparente acaba sendo consumido. Acaba sendo uma ilusão”, continuou.

Receio de beneficiários
Ieda de Almeida, dona do lar, 35 anos, moradora da Fercal, região administrativa do DF, está animada com a oportunidade de aumentar um pouco a sua renda. Mãe de três filhos, ela também recebe o auxílio do governo. Sem trabalho, seu maior medo é que cortem de vez o benefício. “Tenho medo de cortar o auxílio, porque vi na televisão que vai cortar o auxílio de muita gente, isso é uma ajuda para gente que tem filho pequeno”, ponderou.

O Ministério da Cidadania, responsável pela execução do projeto, informou que o programa social “estabelece critérios que vão fortalecer a rede de proteção social e criar oportunidades de emancipação para a população em situação de vulnerabilidade”. A ideia geral é que não seja somente uma distribuição de renda, mas que englobe nove modalidades diferentes de benefícios entre assistência social, saúde, educação e emprego. Segundo a pasta, todas as informações serão amplamente divulgadas pelo Governo Federal por meio de campanhas publicitárias e informes nos canais oficiais. “O problema é que já vimos esse filme. No momento em que se quebra o teto, os agentes econômicos começam a temer que o teto seja dinamitado, ou seja, desviado para os outros fins. O governo, mais uma vez, está usando desses artifícios que, em um primeiro momento pode agradar, mas depois piora”, alertou Castello Branco.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/esperanca-de-brasileiros-pobres-auxilio-brasil-e-uma-dinamite-fiscal.html.

Receita Federal abre hoje consulta a lote residual de Imposto de Renda.


A Receita Federal abriu hoje (22) consulta sobre o lote residual de restituição do Importo de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês de outubro de 2021, lote contempla também restituições residuais de exercícios anteriores. As informações sobre a restituição estão disponíveis por meio de aplicativo para tablets, smartphone  e por meio do site da Receita, na área intitulada Meu Imposto de Renda, onde deve-se clicar em Consultar a Restituição.

Nela, o contribuinte tem acesso as orientações e aos canais de prestação do serviço, nos quais é possível fazer consultas no formato simplificado ou completo de sua situação, por meio do extrato de processamento, acessado no portal e-CAC. Caso identifique pendência, ele poderá retificar a declaração.

Segundo a Receita Federal, há R$ 448,5 milhões em créditos bancários para 292.752 contribuintes. A expectativa é de que esse crédito seja disponibilizado no dia 29 de outubro. “Desse total, R$ 169.234.573,08 referem-se ao quantitativo de contribuintes que têm prioridade legal, sendo 4.593 idosos acima de 80 anos, 40.459 entre 60 e 79 anos, 3.862 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 14.520 cuja maior fonte de renda seja o magistério, informou, em nota a Receita.

O pagamento da restituição é feito na conta bancária informada na Declaração de Imposto de Renda. Nos casos em que o depósito não tenha sido feito, os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil. Em geral essa situação ocorre quando a conta corrente declarada foi encerrada. Para acessar esse crédito não depositado, o contribuinte precisa reagendar o crédito por meio do Portal BB, ou ligando para a Central de Relacionamento BB, nos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

“Caso o contribuinte não resgate o valor de sua restituição no prazo de um ano, deve requerê-lo pelo portal e-CAC, disponível no site da Receita Federal, acessando o menu Declarações e Demonstrativos > Meu Imposto de Renda e clicando em Solicitar restituição não resgatada na rede bancária, informa a Receita.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/receita-federal-abre-hoje-consulta-a-lote-residual-de-imposto-de-renda.html.

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em março.


Trabalhadores informais nascidos em março recebem hoje (22) a sétima parcela do auxílio emergencial em 2021. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro é depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.

Também hoje, recebem a sétima parcela do auxílio emergencial os participantes do Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) de final 5. As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto.

Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros estão sendo beneficiados pela rodada do auxílio emergencial deste ano. O benefício começou a ser pago em abril.

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS.

O pagamento da sétima parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 18 e segue até o dia 29. O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor é superior ao benefício do programa social.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/caixa-paga-auxilio-emergencial-a-nascidos-em-marco.html.

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em fevereiro.

 


Trabalhadores informais nascidos em fevereiro recebem hoje (21) a sétima parcela do auxílio emergencial em 2021. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro é depositado nas contas poupança digitais e pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.

Também hoje, recebem a sétima parcela do auxílio emergencial os participantes do Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) de final 4. As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto. Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros estão sendo beneficiados pela rodada do auxílio emergencial deste ano. O benefício começou a ser pago em abril. Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS.

O pagamento da sétima parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 18 e segue até o dia 29. O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor é superior ao benefício do programa social. Em todos os casos, o auxílio está sendo pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à atual rodada (veja guia de perguntas e respostas no último parágrafo).

O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para as parcelas. A partir de novembro, o público do Bolsa Família será migrado para o Auxílio Brasil, caso o programa social, autorizado por medida provisória, seja criado.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/caixa-paga-auxilio-emergencial-a-nascidos-em-fevereiro.html.

Secretaria do Trabalho de Pernambuco abre inscrições para Fenearte 2021.

 


A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq) abriu nesta quinta-feira (21), um edital para empreendimentos solidários que desejam participar da 21º edição da Fenearte. A iniciativa, realizada em parceria com a Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe), disponibiliza 20 vagas em quatro estandes na maior feira de artesanato e negócios da América Latina. O evento, que contará com 5 mil expositores, entre artesãos de Pernambuco, de outros estados e países, será realizado entre os dias 10 e 19 de dezembro, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.

Quem quiser participar dos estandes, precisa possuir inscrição no Cadastro de Empreendimentos Econômicos Solidários (CADSOL), a exemplo de associações, cooperativas, redes de produção e comercialização, grupos produtivos de artesanato, beneficiamento da agricultura familiar, arte-recicladores, catadores e catadoras que trabalham com materiais recicláveis. 

Segundo o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, a Fenearte deste ano vai abrir oportunidades para todos municípios pernambucanos se encontrarem em um único espaço. “Estávamos ansiosos por este retorno depois de mais de um ano de pandemia. A feira movimenta a economia das cidades e se tornou uma tradição no Estado”, destacou.

Os selecionados passarão por uma curadoria que analisará o produto para a exposição e venda na Fenearte. Segundo a coordenadora da seleção, Ana Pessoa, a economia solidária conta com uma diversidade de atividades, como prestação de serviços, produção de bens, finanças solidárias, trocas, comércio justo e consumo solidário. “O espaço aberto pela secretária é uma forma de valorizar os negócios promissores e o talento dos nossos empreendedores”, afirmou.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/secretaria-do-trabalho-de-pernambuco-abre-inscricoes-para-fenearte-202.html.

Governo descarta possibilidade de antecipar fim da taxa extra na conta de luz.


O ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, afirmou, ontem, que não será possível antecipar para novembro o fim da bandeira tarifária de escassez hídrica, como o presidente Jair Bolsonaro havia declarado na semana passada. A afirmação foi feita após participação em café da manhã promovido pela Frente Parlamentar Mista Pelo Brasil Competitivo. A sobretaxa impõe um custo extra nas contas de luz equivalente a R$ 14,20 para cada 100 kWh consumidos. Segundo o ministro, a bandeira tarifária é necessária para cobrir o custo de geração de energia, que ficou mais caro por causa do acionamento de usinas termelétricas durante o período de estiagem, que esvaziou os reservatórios das hidrelétricas. A bandeira começou a ser aplicada em setembro e deve vigorar, pelo menos, até abril do próximo ano.

“Não é possível antecipar o fim, porque nós temos que fazer o monitoramento do setor. A bandeira tarifária representa o custo da geração de energia”, afirmou Bento Albuquerque. “Para que possamos passar por esse período sem racionamento e sem apagão, ainda é necessária essa bandeira. Então, quando as condições melhorarem, as tarifas, evidentemente, serão reduzidas”, acrescentou.

Na quinta-feira da semana passada, o presidente Jair Bolsonaro disse que determinaria ao Ministério de Minas e Energia que a bandeira voltasse ao normal, ou seja, deixasse de ser cobrada. “Dói a gente autorizar o ministro Bento a decretar a bandeira vermelha. Dói no coração, sabemos da dificuldade da energia elétrica. Vou determinar que ele volte à bandeira normal a partir do mês que vem”, afirmou Bolsonaro.

Reserva
O economista Benito Salomão, mestre em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia, afirmou que não há nenhuma possibilidade de essa taxa acabar em novembro. “Nós não sabemos como vai estar a situação dos reservatórios, que são fundamentais para que nós possamos gerar energia elétrica a um preço mais baixo”, disse. “Enquanto os reservatórios estiverem na reserva, o Brasil comprará energia térmica, que é mais cara. Além disso, a tarifa tem um caráter de inibir o consumo, dado que a oferta de energia está complicada”, completou.

Segundo o economista, provavelmente os brasileiros terão que conviver com tarifas elevadas até o segundo trimestre do ano que vem. Ele observou que, embora haja uma crise hídrica muito forte, as autoridades não discutem formas de mudar a matriz energética. “Nós poderíamos incentivar a alta geração de energia via implante de painéis solares em residências e indústrias. No entanto, isso não é pensado em todo Brasil, o que causa uma grande preocupação. Poderíamos aproveitar essa crise para mudar definitivamente nossa matriz energética, e fazer disso um diferencial competitivo do Brasil nesta década que se inicia”, comentou.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/governo-descarta-possibilidade-de-antecipar-fim-da-taxa-extra-na-conta.html.

Trabalhadores poderão usar FGTS para comprar ações da Eletrobrás.

 


O conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou ontem o modelo de desestatização da Eletrobrás. Uma das novidades é que os trabalhadores poderão usar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para comprar ações da companhia, no processo de capitalização que passará a empresa para controle privado. A aplicação será feita por meio de fundos mútuos de privatização, à semelhança do que ocorreu na privatização da Vale.

De acordo com resolução do PPI, poderão ser usados até R$ 6 bilhões do FGTS com essa finalidade, e cada trabalhador terá direito de usar até 50% do saldo da conta no fundo. Além disso, qualquer pessoa física poderá adquirir diretamente as ações da estatal, num valor mínimo de R$ 1.000. Empregados e aposentados da Eletrobras e de suas subsidiárias terão prioridade para comprar um volume de até 10% do total das ações ofertadas.

Além de definir o modelo e os valores de oferta inicial, o colegiado incluiu mecanismos no Estatuto Social da Eletrobras para incentivar a pulverização acionária e impedir o exercício de poder de controle por um único acionista ou grupo de acionistas. O plano de privatização não incluiu a Itaipu Binacional e a Eletronuclear, que permanecerão em posse da União, conforme determina a Constituição Federal. A intenção do governo é transformar a companhia em uma corporação, sem controlador definido. Dew acordo com o secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, a privatização será a maior da história do país.

Segundo o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, a desestatização irá gerar mais de 27 mil empregos. “Estamos seguros de que entregamos um bom trabalho para o governo, estamos convencidos que essa é a melhor solução para a Eletrobrás e para o cidadão brasileiro”, disse. De acordo com Montenzano, a oferta inicial de ações será de R$ 23,2 bilhões. Caso haja uma segunda emissão, o valor será definido de forma a que a participação remanescente da União na empresa fique em 45% do capital.

A desestatização da maior empresa de energia da América Latina já foi aprovada pelo Congresso e está prevista para acontecer no primeiro trimestre de 2022. “Estamos 100% dentro do cronograma”, disse Mac Cord. No entanto, embora tenha sido aprovada pelo conselho do PPI, a modelagem definida pelo BNDES ainda precisa do aval do Tribunal de Contas da União (TCU).

Durante a tramitação no Congresso, o projeto de venda da estatal sofreu inúmeras emendas, muitas delas estabelecendo obrigações para a nova companhia que, segundo especialistas, poderiam acarretar aumento das tarifas de energia. Para Montezano, porém, isso não vai ocorrer. “Não haverá aumento nem diminuição (das tarifas)”, disse. Além disso, segundo ele, a privatização deve aumentar a capacidade de investimento da companhia, para R$ 12 bilhões por ano.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/trabalhadores-poderao-usar-fgts-para-comprar-acoes-da-eletrobras.html.

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em janeiro.

 


Trabalhadores informais nascidos em janeiro recebem hoje (20) a sétima parcela do auxílio emergencial em 2021. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro é depositado nas contas poupança digitais e pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.

Também hoje, recebem a sétima parcela do auxílio emergencial os participantes do Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) de final 3. As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto. Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros estão sendo beneficiados pela rodada do auxílio emergencial deste ano. O benefício começou a ser pago em abril.

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS. O pagamento da sétima parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 18 e segue até o dia 29. O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor for superior ao benefício do programa social.

Em todos os casos, o auxílio está sendo pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à atual rodada (veja guia de perguntas e respostas no último parágrafo). O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até este mês, com os mesmos valores para as parcelas. Uma extensão do auxílio emergencial até o fim de 2022 está em discussão no governo.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/caixa-paga-auxilio-emergencial-a-nascidos-em-janeiro.html.

Bolsonaro confirma Auxílio Brasil de R$ 400: 'Ninguém vai furar o teto'.

 


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou o valor de R$ 400 do Auxílio Brasil e disse que “ninguém irá furar o teto [de gastos]”. Ele fez a afirmação nesta quarta-feira (20), no lançamento do edital de Construção do Ramal de Salgado, em Russas, no Ceará, parte da Jornada das Águas.

“Ontem (19), decidimos, com o fim do auxílio emergencial, dar uma majoração ao Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família, de R$ 400”, disse. Sobre o Orçamento, Bolsonaro afirmou ter “responsabilidade de fazer com que esses recursos saiam direto da União e que ninguém irá furar o teto nem fazer estripulia no Orçamento”.

O presidente também voltou a criticar as medidas de prevenção ao novo coronavírus, como a política do 'fica em casa', e que o reflexo é a alta da inflação sobre alimentos e combustíveis. Segundo o chefe do executivo, não seria justo que os mais pobres ficassem apenas com o valor do Bolsa Família.

“Seria extremamente injusto deixar cerca de 17 milhões de pessoas com valor tão pouco do Bolsa Família. Sabemos de muitas necessidades que vocês têm. Vamos dar o exemplo. Sabemos que estamos no caminho certo”, afirmou. 
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2021/10/bolsonaro-confirma-auxilio-brasil-de-r-400-ninguem-vai-furar-o-teto.html.

"CPI colaborou com o avanço do calendário de vacinação", afirma Renan.

 


O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou em coletiva, antes do início da sessão desta terça-feira (19/10), que texto final será produto "do que quer a maioria" e garantiu que não houve vazamento do relatório, mas de minutas que estavam "prontas há meses".

Renan destacou também que a CPI colaborou com o avanço do calendário da vacinação. A comissão defende a tese de que o governo Bolsonaro colaborou com fake news para desencorajar a vacinação.

“O G7 é heterogêneo, até partidariamente, esteve junto e deve continuar junto. A CPI impactou a vida nacional e colaborou sobretudo com o calendário de vacinação. Quando instalamos a CPI em 27 de abril, apenas 6% da população brasileira tinha sido imunizada duas doses de vacina. Hoje, esse número chega a quase 50%. É óbvio que muito disso aconteceu em função do trabalho da CPI. Porque o presidente disse que não queria comprar vacina, disse que ia sentar no cheque, que vacina não tinha eficácia, que quem tomasse vacina ia virar jacaré. Quando a Pfizer ofertou a vacina, ele foi atrás da Precisa e do (dono da Precisa, Francisco) Maximiano, falou com o primeiro-ministro da Índia. Depois, recomendou o governo a conversar com a Davati, com o (Luiz Paulo) Dominghetti”, ressaltou.

Renan afirmou que os vazamentos das minutas do relatório não foram feitas por ele, mas teria esse direito, pois ‘não há nada que proíba o relator de expressar opinião sobre seu relatório’. O relator disse ainda que quer ouvir divergências do presidente da comissão, Omar Aziz (PSD/AM). Ele também disse que concorda com o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (REDE/AP) sobre o indiciamento do ministro da Economia Paulo Guedes, no entanto, o assunto será debatido com os demais membros do G7.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2021/10/cpi-colaborou-com-o-avanco-do-calendario-de-vacinacao-afirma-renan.html.

Pernambuco recebe HospitalMed 2021, feira de negócios da saúde, a partir desta quarta-feira (20).



Conhecida como a maior feira de negócios do Norte e Nordeste na área da saúde, a HospitalMed terá Pernambuco como sede neste ano. O evento, que iniciará nesta quarta-feira (20), será realizado no Centro de Convenções do estado, em Olinda até a sexta-feira (22). De acordo com os organizadores, a expectativa é que o evento gere mais de R$ 200 milhões em negócios e receba cerca de 20 mil visitantes.

No local, também estarão presentes mais de 200 expositores e 400 marcas. “Nosso principal propósito é conectar os mais diversos profissionais da área com a cadeia produtiva das regiões. Para isso, contamos com um mix diversificado de marcas, soluções e inovações, resultando em um produtivo ambiente de negócios e de intercâmbio entre especialistas, desenvolvedores, investidores, estudiosos, hospitais, laboratórios, clínicas e os mais variados fornecedores e prestadores de serviços”, pontuou Rodrigo da Fonte, presidente da HospitalMed.

A expectativa é de que a 9ª edição da feira tenha um importante papel na reaproximação da indústria da saúde com o mercado. “Nosso ponto de partida para a realização do evento neste ano foi o estabelecimento de procedimentos de higienização e de controle que deem segurança aos envolvidos na feira e aos visitantes. Por isso, elaboramos em conjunto com os órgãos competentes do governo do estado de Pernambuco um protocolo específico do setor de feiras de negócios que nos permitirá retomar o evento de forma presencial com confiança”, enfatizou Rodrigo.

Somada à geração de negócios, a grade de conteúdos da HospitalMed 2021 é outro destaque do evento. Ao todo, serão mais de 50 eventos paralelos, distribuídos em mais de 150 horas de debates, estudos de casos e informações exclusivas aos participantes. Neste ano, a HospitalMed 2021 contará com o patrocínio da EcoDisinfect e do Banco do Nordeste, Colortel, além do apoio da UmTelecom, ASSEMED Laudos, Ecosystem, HF Higiene Fácil, M.R. Tech e do Sebrae.

Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/pernambuco-recebe-hospitalmed-2021-feira-de-negocios-da-saude-a-part.html.

Governo deve anunciar valor do novo Bolsa Família nesta terça-feira (19).

 


O governo federal pode anunciar, nesta terça-feira (19/10), o valor do novo Bolsa Família, chamado de Auxílio Brasil, que deve entrar em vigor em novembro. O valor médio das parcelas deverá passar dos atuais R$ 189 para R$ 400, até o final de 2022, segundo informações do jornal O Globo e do Estadão Broadcast. A quantia, defendida pela base do governo no Congresso Nacional, é acima da proposta inicial de R$ 300 da equipe econômica, que, segundo fontes, estaria tentando frear qualquer possibilidade de que os pagamentos ultrapassem o teto de gastos públicos.

Ocorre que, para que os pagamentos no valor de R$ 400 possam ser realizados, o governo precisaria, segundo equipe do Ministério da Economia, pagar até R$ 300 dentro do orçamento já previsto para o ano que vem, respeitando o teto de gastos. E R$ 100 seriam pagos como “pagamento temporário”, o que dispensaria a obrigatoriedade de o governo criar uma nova fonte de receita para pagamento fora do teto.

Vale destacar que o governo termina de pagar o auxílio emergencial neste mês, quando, só então, estão previstos para ser realizados os primeiros pagamentos do novo programa de renda mínima. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no entanto, chegou a mencionar novamente, nessa segunda-feira (18), a intenção de estender o auxílio emergencial e afirmou que a decisão seria tomada nesta semana, o que aumentou ainda mais o imbróglio sobre a questão. 

O programa Auxílio Brasil tem sido apontado por especialistas como a aposta do chefe do Executivo para tentar melhorar sua popularidade e desvincular a marca “Bolsa Família”, criada na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula e Bolsonaro são os principais nomes na corrida eleitoral de 2022.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/governo-deve-anunciar-valor-do-novo-bolsa-familia-nesta-terca-feira-1.html.

Alta nos preços atinge até mesmo carnes de segunda a quinta categoria e pé de galinha.

 


Os preços das carnes dispararam nos últimos meses, mas consumidores têm reparado que não apenas os cortes mais valorizados subiram de preço. Carnes de segunda a quinta categoria — “carne de ossos”, como carcaça temperada, pé de galinha e pescoço —, passaram a ter uma procura maior e, consequentemente, também ficaram mais caras. Porém, não há dados em pesquisas nacionais sobre esses cortes. A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), disse que não tem informações detalhadas, e a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que mede a inflação oficial, se restringe a carnes de primeira e de segunda, ou ao produto como um todo, no caso de frango e porco.


De acordo com os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a alta acumulada no preço da carne bovina chegou a 25% nos 12 meses entre outubro de 2020 e setembro último. O frango encareceu até mais nesse período: 29%.

“Desde de que os preços começaram a aumentar muito, comecei a buscar as opções mais em conta, pois meu salário começou a não ser suficiente para pagar as contas e fazer as compras do mês”, disse Lucas da Silva, 30 anos, consultor de vendas.

Ele ressalta que, a cada mês, a situação piora. “Os preços estão aumentando, mas os salários não. Aonde vamos chegar? A situação está difícil. Eu e minha família passamos o mês passado comendo apenas ovo. Neste mês, acredito que vai acontecer o mesmo”, disse Lucas. Para Maria de Fátima Silva, 57 anos, dona de casa, fazer compras do mês é desmotivador. “Percebi uma diferença em todos os itens de alimentação. Todavia, a carne foi o item que mais subiu de preço. Comprar carnes de segunda ou cortes de outras partes dos animais estava sendo a solução. Quem imaginaria que o pescoço de galinha sairia por R$ 20 o quilo?”, questiona. “Hoje em dia, consigo comprar apenas o essencial, o que já fica muito caro para três pessoas”, diz ela, que mora com os dois filhos.

Desempregada, a dona de casa vê as dificuldades aumentarem ainda mais. “Perdi o emprego devido a um problema que tive na coluna. Meus filhos resolveram pagar as contas para eu não me esforçar mais. Como eu fazia serviços gerais, não consegui me aposentar”, conta. “Apenas meus filhos têm renda e sustentam a casa.”A assessora pessoal Ângela Teodoro, 35, também reclama. “Antigamente, eu gastava entre R$ 300 e R$ 400 para uma compra farta na minha casa, incluindo coisas supérfluas. Hoje, está difícil comprar o básico por esse valor”, declarou.

Ângela ressalta que, com a carestia, começou a consumir carnes de segunda categoria. “Porém, com esses aumentos, vou ter que passar para os ovos, porque, mesmo sendo apenas eu e meu marido em casa, está complicado. Eu penso nas pessoas desempregadas, elas não têm saída”, afirmou.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/alta-nos-precos-atinge-ate-mesmo-carne-de-segunda-a-quinta-categoria.html.

Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial.

 


Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em outubro podem sacar, a partir de hoje (18) a sexta parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal no último dia 1º.Os recursos também podem ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro apenas podia ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de Covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras
Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/trabalhadores-nascidos-em-outubro-podem-sacar-auxilio-emergencial.html.

Atacadão inaugura unidade em Garanhuns.


O Atacadão, maior atacadista brasileiro em número de lojas e com abrangência nacional, inaugurou sua primeira unidade no município de Garanhuns, nesta quinta-feira (14), gerando cerca de 500 empregos diretos e indiretos. Esta é a 14ª unidade da rede em Pernambuco, onde o Atacadão está presente desde 2000 e também conta com 1 atacado de entrega.

Com uma área de vendas de 4.271 m², a nova unidade também conta com 22 checkouts e 250 vagas de estacionamento. Para atender todas as exigências dos consumidores, o Atacadão oferece milhares de opções de produtos que podem ser adquiridos em embalagens de diversos tamanhos, fechadas ou fracionadas, de acordo com a necessidade do cliente. Além disso, a rede também disponibiliza uma ampla variedade de marcas nos setores de mercearia, bebidas, cuidados pessoais, artigos de limpeza, frios e laticínios, incluindo líderes de mercado, produtos regionais e alternativas de baixo custo. Já na área de hortifrúti, os consumidores encontram também uma seleção de alimentos frescos e de qualidade. Há ainda produtos para casa, carro, animais de estimação e itens para festa.
“Estamos muito felizes com a inauguração da nossa primeira loja na cidade de Garanhuns. Desde 2000, o Atacadão atua no estado de Pernambuco contribuindo com a economia local, proporcionando oportunidades de emprego e melhores benefícios para todos os tipos de públicos, como pequenos comerciantes e consumidores finais, oferecendo preços competitivos e o acesso à alimentação básica de qualidade para a população. Isto faz parte do modelo de negócios do Atacadão, que segue um robusto plano de expansão, com expectativa de atingir 250 lojas e 33 atacados de entrega até o final de 2021” comenta Marco Oliveira, CEO do Atacadão.

Atualmente, o Atacadão tem 243 lojas pelo Brasil e 31 atacados de entrega. Em Pernambuco, a rede também está presente em: Camaragibe, Garanhuns, Jaboatão, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Petrolina, Serra Talhada, Caruaru, Igarassu e Recife.

Covid-19
Todas as medidas de segurança foram tomadas para a inauguração da loja. Para funcionamento, a unidade segue todas as recomendações dos órgãos de saúde: o uso de máscaras pelos funcionários e clientes, controle de entrada de clientes, sinalização para distanciamento nas filas, medição de temperatura, barreira de acrílico nos checkouts e disponibilização de álcool em gel. Além disso, todas as lojas ressaltam a importância do uso de máscaras pelos consumidores e comparecimento de apenas uma pessoa por família, sempre que possível. 
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/atacadao-inaugura-unidade-em-garanhuns.html.

Inflação de setembro é maior para as famílias mais pobres, indica Ipea.

 


O Indicador de Inflação por Faixa de Renda apontou aceleração da taxa de inflação para todas as faixas de renda no mês de setembro. É o que mostra estudo divulgado, nesta sexta-feira (15), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa revelou também que a inflação foi mais acentuada para as famílias de renda muito baixa (1,30%), comparativamente à apurada no grupo de renda mais elevada (1,09%).
De acordo com o estudo, o grupo de habitação foi o que mais contribuiu para a alta inflacionária das famílias dos três segmentos de menor rendimento em setembro. “Para essas famílias de renda muito baixa, os reajustes de 6,5% das tarifas de energia elétrica, de 3,9% do gás de botijão e de 1,1% dos artigos de limpeza foram os principais responsáveis pela alta do grupo habitação. Esse aumento responde por mais da metade da inflação para o segmento”, diz o texto.

A pesquisa observa que o segundo segmento que mais influenciou a inflação das famílias de menor renda foi o de alimentos em domicílio, puxados especialmente pelo aumento das frutas (5,4%), das aves e ovos (4,0%) e dos leites e derivados (1,6%). “Já para as três faixas de renda mais alta, assim como ocorreu em agosto, o maior impacto partiu do grupo de transportes. A alta inflacionária desse segmento foi influenciada pelos reajustes de 2,3% da gasolina, de 28,2% das passagens aéreas e de 9,2% dos transportes por aplicativo”, explica.

O estudo mostra que apesar de a inflação em setembro de 2021 ter ficado acima da registrada no mesmo mês de 2020, para todas as classes de renda pesquisadas, o diferencial entre as taxas foi, novamente, maior para as famílias de renda mais alta. “As deflações observadas nos planos de saúde (-2,3%) e em serviços pessoais e de recreação, como cabeleireiro (-0,37%) e hospedagem (-0,47%), impactados pelas medidas de restrição social, bem como os aumentos menos intensos em itens de maior peso da cesta de consumo, como gasolina (1,9%) e passagens aéreas (6,4%), explicam o desempenho melhor da inflação, no ano passado, nessa faixa que concentra os maiores rendimentos”, comenta.

Conforme o estudo, para as famílias de menor renda, apesar da alta bem mais intensa dos alimentos no domicílio em setembro de 2020, especialmente do arroz (18%), feijão (4,3%), carnes (4,5%) e óleo de soja (27,5%), o desempenho mais benevolente da energia elétrica (0,07%), do gás de botijão (1,6%), dos aluguéis (0,11%) e dos artigos de higiene (0,20%), no ano passado, explicam essa taxa de inflação mais amena.

Acumulado no ano
Os dados acumulados nos últimos 12 meses revelam que, embora a pressão inflacionária tenha acelerado para todas as faixas de renda, a inflação acumulada nas famílias de renda mais baixa (11%) é 2,1 pontos percentuais maior do que a registrada na classe de renda mais alta (8,9%).

Para as famílias de renda muito baixa, os dados revelam que, além dos aumentos nos preços dos alimentos no domicílio, como carnes (24,9%), aves e ovos (26,3%) e leite e derivados (9,0%), os reajustes de 28,8% da energia e de 34,7% do gás de botijão explicam grande parte da alta inflacionária nos últimos 12 meses.

“Para as famílias com maiores rendimentos, a inflação acumulada no período é impactada, sobretudo, pelas variações de 42,0% dos combustíveis, de 56,8% das passagens aéreas, de 14,1% dos transportes por aplicativo e de 11,5% dos aparelhos eletroeletrônicos”, afirma o estudo. 
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/inflacao-de-setembro-e-maior-para-as-familias-mais-pobres-indica-ipea.html.

Atividade econômica cai 0,15% em agosto, diz Banco Central.


A atividade econômica brasileira teve variação negativa em agosto deste ano, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (15) pelo Banco Central (BC). O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou queda de 0,15% em agosto de 2021 em relação ao mês anterior, de acordo com os dados dessazonalizados (ajustados para o período), chegando a 139,23 pontos.

Na comparação com agosto de 2020, houve crescimento de 4,74% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais). No ano, foi registrada alta de 6,41%. Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador também ficou positivo, em 3,99%.

O índice é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, definida atualmente em 6,25% ao ano. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: a indústria, o comércio e os serviços e a agropecuária, além do volume de impostos.

Entretanto, o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No segundo trimestre deste ano, o PIB apresentou variação negativa de 0,1%. No primeiro semestre, o PIB registrou alta de 6,4% e em 12 meses, acumulou alta de 1,8%.

Em 2020, o PIB do Brasil caiu 4,1%, totalizando R$ 7,4 trilhões. Foi a maior queda anual da série do IBGE, iniciada em 1996 e que interrompeu o crescimento de três anos seguidos, de 2017 a 2019, quando o PIB acumulou alta de 4,6%.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/atividade-economica-cai-0-15-em-agosto-diz-banco-central.html.

Governo estuda estender auxílio emergencial por mais dois meses.

 


Devido às dificuldades em obter uma fonte de financiamento para o Auxílio Brasil, que pretende implementar em substituição ao Bolsa Família, o governo estuda conceder um auxílio emergencial de transição, que seria pago àqueles não contemplados pelo novo programa social e beneficiaria aproximadamente 20 milhões de famílias. A ideia é bancar parcelas de R$ 150 e R$ 250, em novembro e dezembro, por meio de um crédito extraordinário.

Mas esta possibilidade vem trazendo desconforto para parte do time do Ministério da Economia. Isso porque, a apenas 18 dias do fim do auxílio emergencial concedido durante a pandemia de Covid-19, o clima na equipe econômica é de tensão e enfrentamento para impedir a prorrogação do benefício — como defendem auxiliares do presidente Jair Bolsonaro e lideranças do Congresso —, enquanto o governo não tira do papel o Auxílio Brasil.

Os principais assessores do ministro da Economia, Paulo Guedes, já avisaram em reuniões internas e com representantes do mercado financeiro que não assinam a prorrogação do auxílio emergencial por meio de novo crédito extraordinário. Isso possibilitaria que as despesas ficassem fora do teto de gastos — regra prevista na Constituição que fixa um limite anual de despesas com base na variação da inflação.

Diante desse conflito interno, fontes da pasta confirmam que Guedes negocia a tramitação da PEC dos Precatórios, ainda a única fonte de custeio encontrada para bancar o Auxílio Brasil. A proposta de emenda constitucional deve ser analisada no Plenário da Câmara dos Deputados na próxima semana com alterações — como a retirada do parcelamento de precatórios por 10 anos e a criação de um teto anual para pagamento dessas despesas.

“A PEC dos precatórios abrirá espaço para que o novo programa social fique dentro do teto de gastos. A preservação do teto é importante e tem mostrado efeitos concretos sobre as contas públicas. Graças ao teto, por exemplo, a projeção para o deficit primário em relação ao PIB ao fim de 2021 já foi revisada para baixo quatro vezes seguidas, e agora é de 1,6%. Para 2022, o PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual) projeta deficit próximo de 0,5% do PIB, além de uma relação entre despesas primárias e PIB menor que a do primeiro ano de governo”, explicou o Ministério da Economia, por meio de nota, ao Correio.

Em outra vertente, o projeto da reforma do Imposto de Renda, que está no Senado, é tratado como a segunda fonte de financiamento do Auxílio Brasil. Só que o relator, senador Angelo Coronel (PSD-BA), já disse que não entregará seu parecer este mês. Ele defende que a análise da proposta seja feita com calma para, depois, ser votada.

Fundo de ações
Guedes, aliás, voltou a defender a criação de um fundo com ações de empresas estatais, entre elas a Petrobras, para injetar recursos no Auxílio Brasil. O Fundo de Redução da Pobreza, que ainda está sendo alinhavado pela equipe econômica, tem a intenção de repartir o dinheiro com os beneficiários, em caso de venda de estatais ou de distribuição de dividendos (lucro aos acionistas) de companhias superavitárias.

“O desespero eleitoral leva ao desatino fiscal. Já vimos este filme. O atual governo quer uma nova versão do Bolsa Família, o Auxílio Brasil, por razões sociais, mas, sobretudo, políticas”, resumiu o economista Gil Castello Branco, secretário-geral da Associação Contas Abertas. Ele lembrou, porém, que essa proposta vincula recursos e pode contrariar o Art. 44 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) — que diz que é “vedada a aplicação da receita de capital derivada da alienação de bens e direitos que integram o patrimônio público para o financiamento de despesa corrente, salvo se destinada por lei aos regimes de previdência social, geral e próprio dos servidores públicos”.
Fonte:https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/economia/2021/10/governo-estuda-estender-auxilio-emergencial-por-mais-dois-meses.html.

Videos reportagem