.

.

Após 35 anos moradora de Nazaré da Mata reencontra irmãos biológicos

No último domingo (14) dia dos pais, para a moradora de Nazaré da Mata, Jesiane Carla da Silva, foi marcado pela emoção do reencontrou com os irmãos no município de Itaquitinga, após 35 anos. “Estou muito ansioso, não vejo a hora de encontrá-la. Achava que seria difícil, mas não impossível. Sempre acreditei que iria encontrar minha irmã”, disse Genildo Maximildo da Silva, 34 anos, irmão mais novo de Jesiane, momentos antes do reencontro.
A nazarena foi doada com menos de um ano de idade pela sua mãe biológica e cresceu sem saber sobre a sua história. Quando engravidou pela segunda mês, Jesiane, tinha o risco de ter que receber sangue, foi quando ela soube que não era filha biológica dos seus pais.
Após saber que não era filha biológica, Jesiane, começou a buscar mais detalhes sobre sua origem, e foi atrás de sua primeira certidão de batismo nas paróquias das redondezas, sabendo apenas seu primeiro nome, “Geane” que sua mãe havia lhe falado. Não tendo sucesso na sua busca, procurou a coordenadora licenciada da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata (AMUNAM), Eliane Rodrigues, e contou sobre sua história. A coordenadora licenciada da AMUNAM, que morou durante a infância no Engenho Pasta, na zona rural de Itaquitinga, descobriu sobre a família biológica de Jesiane e que também havia morado no mesmo engenho. 


Um comentário:

Videos reportagem