.

.

Maracatus de Nazaré da Mata poderão sambar à vontade

Na tarde desta quarta-feira (05/02), os mais de 20 grupos de maracatus da cidade de Nazaré da Mata, participaram de uma audiência no Colégio de Aplicação Professor José Chaves, a convite do Ministério Público de Pernambuco.


Além dos maracatuzeiros, estiveram presentes a promotora de Justiça de Nazaré da Mata, Maria José Mendonça, o presidente da Fundarpe, Severino Pessoa, o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania (Caop Cidadania), Marco Aurélio Farias, o tenente-coronel, Hélio Brito do 2º BPM, o vice-prefeito de Nazaré da Mata, Mauricio Andrade, os vereadores de Nazaré, Bira e Kiko do PSD, e o músico Siba - autor das recentes publicações em seu Facebook relativo a interrupção da festividade de um grupo de maracatu no último dia (01/02).



Uma determinação por parte da Polícia Militar estava sendo imposta na cidade durante às sambadas - evento realizado pelos grupos de maracatus, no qual determinava     que o horário de encerramento das apresentações não poderia passar das 2h.




No entanto, a decisão perdeu validade na tarde de hoje, segundo a advogada e integrante dos movimentos direitos urbanos e culturais, Liana Lins, a lei estadual Nº 14.133, nos artigos; 1º e 4º, respectivamente - não aplica-se às apresentações dos grupos de maracatus durantes às sambadas de terreiro.


A decisão foi comemorada pelos representantes dos maracatus, que foram orientados juridicamente, a entrarem com um processo no MPPE coletivamente por terem passados dois anos cumprindo uma lei que não deveria estar sendo aplicada durante às Sambadas. 

O Governo de Pernambuco se pronunciou por meio de nota oficial encaminhado à imprensa, enfatizando o apoio dado aos maracatu de Nazaré da Mata: "A marca do Governo do Estado na política cultural tem sido a valorização da cultura popular pernambucana. Neste cenário, o Maracatu de Baque Solto ocupa lugar de destaque. De 2008 a 2013, mais de 2 milhões e 300 mil reais foram destinados às diversas apresentações e encontros de agremiações da Zona da Mata. Nos últimos três anos, através do Festival Pernambuco Nação Cultural, 19 sambadas foram realizadas nos terreiros da Mata Norte, sempre em parceria com os brincantes. 

Um comentário:

  1. Não sou contra ao horário das sambadas, por mim podia ficar 24 horas de apresentação. Sou contra as fogos que eles ficam soltando durante toda a madrugada, atrapalhando o sono das crianças pequenas e dos pais que tem que levantar para dar assistências aos pequenos. Que brinquem façam as suas festas, mas acabem com esses fogos.

    ResponderExcluir

Videos reportagem