.

.

Nordeste identifica 399 casos de microcefalia

O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (17/11) que os casos de contaminação por zika vírus registrados no primeiro semestre são a "principal hipótese" para explicar o aumento da ocorrência de microcefalia no Nordeste. 


Dados do boletim epidemiológico aponta a ocorrência de 399 casos, em sete estados da região, sendo 268 bebês diagnosticados em 2015.

A microcefalia é uma anomalia no desenvolvimento do cérebro do bebê. Eles nascem com crânio medindo 33 centímetros ou menos. O normal é que uma criança nascida após nove meses tenha mais de 33 centímetros. O impacto da microcefalia é muito forte. As crianças podem, em tese, ter uma vida normal, mas precisarão ser acompanhadas regularmente. Elas terão que fazer fisioterapia e podem desenvolver problemas cognitivos e até epilepsia.

A reportagem da Rádio Alternativa FM entrevistou com o médico pediatra neonatologista - Agusto Malta, que fala sobre os casos de microcefalia. 

Ouça a entrevista



Fonte: Revista Época

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Videos reportagem